sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Há dias assim...

Caros leitores, como já puderam constatar ontem consegui finalmente publicar um post de jeito que deu para uma amena conversa (e já não era sem tempo :)). Surpreendentemente, o dia de ontem acabou tal como começara. Após um animado (o mesmo que dizer com muito álcool à mistura), eu e os meus amigos passamos por um casal gay que fazia a sua vida normalmente na via pública. Bem, não vale a pena dizer quais foram as reacções. Ora bem, isto deixou-me com os meus pensamentos a 1000 à hora. Não consegui parar de pensar sobre como iriam os meus amigos reagir face a um :" hey, calma ai que também sou gay"! Principalmente um deles, porque eu ando a deixar as coisas irem longe demais, uma vez que estou interessado e a outra parte nem por isso. Já sei de cor como a atitude muda, quando se descobre que essas "coisas" andam por perto e são nossos amigos. Mas, o que me deixou mesmo a pensar, foi o facto de eu m encontrar num grupo de amigos em quem confio e guardo um segredo, que poderia comprometer muita coisa. Ora, obviamente passei o resto da noite a questionar-me sobre qual seria o "dark-side" de cada um deles! És meu amigo, mas o mais provável é eu nem te conhecer...E não vale a pena referir que o dia de hoje não rendeu grande coisa, enquanto toda a gente corria de um lado para o outro no seu dia-a-dia, eu estava parado em frente ao computador, a processar ideias sobre amizades, relações, e sobretudo pelo facto de nunca ter tido problemas com o facto de ser "diferente", mas sim com o facto de nunca saber lidar com pessoas sem equacionar quase tudo...enfim...sei que não é grande post, mas apeteceu-me partilhar. Talvez pelo facto de estar aterrado no sofá, sem ter saído de casa e me sentir um pouco confuso com tantas ideias. Só faltava a chuva lá fora, e o cenário seria perfeito. Para finalizar deixo uma música de um grupo extraordinário, e que neste momento tem alguma coisa a ver com o meu estado de espírito.



Prometo que os próximos posts serão mais animados, já que não quero perder audiência! Bom fim-de-semana a todos:)

7 comentários:

  1. Como já reparaste, fazer a escolha correcta não é fácil! Dir-te-ia que se conheces muito bem algum dos teus amigos e tens a certeza que a sua reação será boa, então força! Nada melhor que ter alguém que já nos conhece e com quem iremos poder partilhar alegrias e angústias que, normalmente, não faríamos com ninguém.
    Quanto aos outros, às vezes é melhor esperar. Por vezes o próprio tempo permite-te ver os que te rodeiam com outros olhos e tomar a melhor decisão.
    Abraço e bom findi!

    ResponderExcluir
  2. É mais fácil contar a vida a um desconhecido que se conhece na rua do que a amigos de uma vida inteira. Não podes nem consegues adivinhar a reacção de cada um (basta te apenas temer!).
    A minha reacção foi diferente, não tanto um preconceito, mas uma questão: "Porquê só agora? Porque é que não me contaste mais cedo? Porquê?"

    A verdade é que levas os teus lugares dentro de ti, a memória no presente. Todos os dias, todos os tempos. Porque tu és o que tens, não tens nada do que és. E a presença dos que se dizem amigos, a sua persistência dentro de ti é o que te faz ser a solidão quando ela é doce, as vozes deles (amigos) são o que tornam as tuas palavras melodias.

    Porque não contar?
    Se não te aceitarem é porque realmente não eram amigos, mas sim conhecidos que deixar-se-ão levar pelo tempo.

    ResponderExcluir
  3. TheMenBehindTheCurtain3 de outubro de 2009 16:48

    Curioso que são pensamentos que também me atravessam frequentemente a cabeça, não estivesse numa situação bastante semelhante. Não tenho conselhos úteis a dar, as incertezas são as mesmas.

    No meu caso, sei que gosto demasiado da minha vida como é de momento. Embora em ocasiões do género que descreves no teu post não falte vontade de "largar a bomba", tenho consigo morder a língua.

    Sinto-me a jogar à batata quente mas também não acredito que este tipo de revelação não tenha impacto nas pessoas, mesmo em grandes amigos. Até agora tenho lidado mais ou menos bem com o assunto mas quando sentir que se está a tornar um grande fardo, contarei a pessoas que sinta mesmo confiança...

    Para acabar, a música é gira. Melancólica, muito em sintonia com o teu post. :)

    ResponderExcluir
  4. Individual(mente):percebo perfeitamente ao que te referes! tenho dois grupos de amigos em fui extraordinariamente bem aceite, o que desde sempre me assutou (nao o esperava), mas sabe mesmo tão bem! Problema é que as voltas da vida, acabram por nos separar...enfim...e agora tenho que recomeçar de novo...tudoo tão diferente, e ingenuidade de outrora, foi trocada pela razão e desonfiança...mas acredito que há-de mudar:)
    obrigado pelos conselhos

    Diana: Achoq ue continuas a perguntar-te demasiado "porque"? Acho que deverias mais pensar no sentido de haverem tantas pessoas que provavelmente poderiam saber, mas não o sabem...e olha que acho que confiança nao é coisa que se encontra ao virar da esquina...get it?

    TheManBehindTheCurtain: É mesmo isso um jogo de batata quente...há uns anos abri o jogo porque achei que o deveria fazer! Por algum motivo, desilusão talvez, hoje nao o faço facilmente, nem me importa! Nunca distingui os amigos por ai, nunca guiei a vida pelo facto de ser gay, ou o que em desse na cabeça, por isso...para ja estou bem como estou...e ha sempre aquels amigos que volta e meiz reaparecem:) Apre...estou mesmo melancólico...deve de ser do tempo..e olha que Kings é grande banda...

    ResponderExcluir
  5. E um dia surge um amigo que te diz "há tanto tempo que sei; qual é a diferença?"...isso sucedeu comigo.
    Quando comemorei um aniversário de número "gordo" resolvi abrir o jogo, sem o declarar publicamente e convidei todos os amigos que foram importantes na minha vida, e a família mais chegada: foi lindo! Havia gays, lésbicas, tios, amigos de infância e respectivos cônjuges, eu sei lá e olha correu tudo lindamente e ninguém falou sobre o assunto, mas toda a gente ficou a saber tudo, mas foi tudo natural: senti-me no paraíso!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Eu também não sou assumido para o meu grupo de amigos mais próximo e por vezes também por essas situações que descreveste :s
    Ah e também sou como tu, quanto ao "facto de nunca saber lidar com pessoas sem equacionar quase tudo", o que convenhamos, por vezes atrapalha um pouco...
    De qualquer forma, já saquei o novo album dos Kings of Convenience, tenho que escutá-lo com mais cuidado...
    Abraço

    ResponderExcluir
  7. Pinguim: já passei por isso e é brutal! Se bem que fiquei a pensar "darei assim tanto nas vistas? XD

    Ruy A. : eu sou assumido para os amigos próximos, não para este grupo a que referi...e obrigado, pois nao sabia que havia novo cd :D Fico te a dever uma

    ResponderExcluir